Paisagem XX - "Segue o seco"

sexta-feira, 11 de maio de 2012


Segue o solo seco e quebradiço marcado pelo sol que impera sem fim entre o Trópico de Capricórnio e a Linha do Equador.

Segue a trilha da criança com a lata d’água na cabeça, e a trilha das lágrimas da mãe até o resto de água salobra que sobrou da imensidão do açude, que ainda ontem ali existia. 

“Segue o seco sem sacar que o espinho é seco”*, como canta a voz suave da cantora na música que vem do radinho de pilha na cabeceira da menina que ora aos céus, perguntando pela chuva.

E de tanto seguir o seco da terra, o sertanejo já não mais admira a beleza do azul do céu limpo, totalmente sem nuvens, que se mostra vanglorioso sobre a sua infinitude.

Do outro lado, o turista segue o seco da areia branca em busca do mar que, de tão azul, se mistura ao céu. É tanto céu, e tanto azul, que ambos, das extremidades da terra seca, por um lado, e da areia branca, do outro, estacam, contemplando a paisagem de imensidão que se desenha sobre a linha do horizonte. E se você reparar bem nos rostos, ambos bronzeados pelo sol, vai notar uma nesga de sorriso no rosto do turista, agradecendo ao Deus Sol, e uma lágrima que brota no olho esquerdo do sertanejo, que ora por seu gado.


*Trecho de Segue o Seco, Marisa Monte.


2 comentários:

Giovanna R. disse...

O paraíso de uns está num céu azul. O de outros, em nuvens negras.
E a história da seca se repete na nossa História.

silencereports disse...

O paraíso de uns está num céu azul. O de outros, em nuvens negras.
E a história da seca se repete na nossa História.

 
FREE BLOGGER TEMPLATE BY DESIGNER BLOGS