Paisagem (I)

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2010

No vai-e-vem dos pontos da agulha de crochê, a mulher molda detalhes que se tornarão, quem sabe, uma toalha, uma peça de roupa, uma extensa colcha. Em estado máximo de concentração, calcula o laço, o movimento exato da agulha: sentido anti-horário, para cima, para baixo, e o ponto surge, perfeito. Aos poucos, o novelo de linha vai sumindo, e o trançado vai crescendo, com calma, feito a vida da mulher: cada laço forma um ponto, e o novelo se desfaz... até o fim.

2 comentários:

Mateus Luciano disse...

em cada ponto um passo como na vida

Babih Xavier disse...

Um conto sobre um ponto... bacana

 
FREE BLOGGER TEMPLATE BY DESIGNER BLOGS