Paisagem (II)

sábado, 27 de fevereiro de 2010

As latinhas recolhidas nas lixeiras da estação garantirão o jantar desta noite. Começam cedo, junto com a cidade que acorda para trabalhar. Mas isto também é um trabalho, quem foi que disse que não é? Não fossem seus cabelos brancos, e, às vezes, suas costas arcadas por terem carregado o peso de tantos anos, seriam, cada um, apenas mais um cidadão em busca do pão-de-cada-dia, mas por meios dignos, claro, porque a necessidade (leia-se a falta de tudo) não lhes tira o que está fundado em seu íntimo, desde a infância, aquilo que a mãe ensinava enquanto cozia junto ao fogão. Mas hoje não é mais assim, "os tempos são outros", dizem, enquanto caminham em direção à próxima lixeira.

Foto: João Ferraz

4 comentários:

Juliana Mendes disse...

Pxiiiiiiii ...
Realidade cruel, das cidades!!!!!

Clara disse...

Medio digno, mas nem por isso menos triste. Idosos mendigos e abandonados causam muita comoção (em mim, mais ainda que crianças), mas infelizmnete fazem parte de uma realidade que se vê todos os dias nas ruas. O que fazer? Ter pena e jogar moedinhas certamnete não é a solução...

Mateus Luciano disse...

sempre carregando o fardo pesado com o seu o meu lixo
e aos montes
empilhados nas esquinas
debrussado sobre o álcool
deitado sobre o crack
empurrado para o lato dilacerado
ceifado,nu.indignado,abandonado

Jéssica V. Amâncio disse...

Impossível ficar indiferente à isso. Todo dia vejo, e ainda não consigo me acostumar.

 
FREE BLOGGER TEMPLATE BY DESIGNER BLOGS