Sobre ventos que passam

domingo, 6 de setembro de 2009

Há ventos que passam deixando o rastro de um forte perfume pelo ar, e o cheiro permanece por tempos e tempos, e com ele a lembrança...

Depois, uma leve brisa limpa o ar, e do rastro forte, sobra apenas uma fragância suave, quase imperceptível.

Daí surge uma ventania confusa, transtornada, provavelmente vinda do Atlântico Norte, quente como o verão, e o cheiro que fica no ar é o cheiro que você quer guardar na caixinha, juntamente com as outras coisas boas. Mas você se esquece de que não se pode guardar o vento, e ele se dissipa novamente.

A única saída, então, é olhar para o céu e esperar pela próxima corrente... que traga o cheiro de volta.

3 comentários:

Juliana Mendes disse...

Queeee lindooo...
Muitas vezes é assim mesmo né?
Ficamos esperando a volta...
:S
é tão trsite ter que pensar por essa forma...
Eu mesma, não fui capaz de nutrir o amor e deixar ele vivo...
MAs acaba enfim... e a gente muitas vezes acaba junto com ele...
=/

Gabriela disse...

Perfeito!! e que esse tempo, e esse vento passem por mim...
Beijo com carinho

TanyLe disse...

Também espero por essa corrente :)
Belíssima sua percepção Priscila!
[BeejO]

 
FREE BLOGGER TEMPLATE BY DESIGNER BLOGS